Turquia : Alunos fazem protesto contra a Tortura de Alunos Gays

 

Os confrontos entre estudantes e policiais na Universidade de Bogazici começaram em janeiro, quando o presidente Recep Tayyip Erdoğan nomeou um legalista anti-LGBT+ como um alto funcionário.

As manifestações se espalharam por Istambul e outras cidades em fevereiro, levando à detenção de 600 pessoas que o ministro do Interior da Turquia, Suleyman Soylu, rotulou de "depravados LGBT+".

As tensões na universidade aumentaram ainda mais na quinta-feira (25 de março) quando um grupo tentou protestar contra uma investigação sobre um estudante que criou uma obra de arte que retratava arco-íris ao lado da Caaba, o local mais sagrado do Islã.

A Reuters informa que sete estudantes foram a julgamento na semana passada sob a acusação de incitar o ódio ao exibir uma imagem que combinava imagens islâmicas com bandeiras lgbt+, arco-íris.

Vídeos divulgados pelo grupo estudantil "Resistência Bogazici" no Twitter e no Instagram mostraram dezenas de policiais em equipamento de choque se movendo em estudantes tentando entrar no campus.

"A polícia está intervindo porque queríamos que nossos amigos fossem soltos e não sairíamos da frente do campus até que os pegamos", escreveu o grupo.

Gritos e gritos podem ser ouvidos em um vídeo enquanto a polícia está lotada na multidão usando escudos de motim. Outro mostra pessoas sendo violentamente forçadas a entrar em veículos de detenção.

Vigílias continuaram no campus na sexta-feira (26 de março) quando estudantes e professores com alto-falantes se dirigiram a multidões carregando bandeiras e bandeiras LGBT+, refletindo o abismo cada vez maior entre a universidade e o governo turco profundamente anti-LGBT+.

"A dignidade humana superará a tortura", declarou a Resistência Bogazici nas redes sociais ao lado de hashtags traduzidas para #ReleaseOurFriends #Don'tTouchMyRainbow.

"Juntos, gritamos repetidamente por nossos amigos que foram detidos por tortura, agredidos e confrontados com abusos nus!"


Fonte PinkNews