Pastor evangélico que pregava contra a Homosexualidade e preso após pagar dinheiro por favores sexuais a Jovens do Grindr

Barry Cole Poyner, de 57 anos, que trabalha na Universidade Estadual de Truman, no Missouri, foi acusado de uma contravenção por prostituição condescendente, informou o site Pink News.


O professor de comunicação teria usado o aplicativo de encontros Grindr para pagar a jovens por favores sexuais, mas foi apanhado depois que a polícia criou um perfil falso. Se for condenado poderá ser preso por seis meses e/ou enfrentar uma multa de até USD 1'000 (cerca de 900 EUR).

Além de ser professor na universidade, Poyner é um dos três anciãos da Igreja de Cristo de Kirksville, conhecida por várias publicações anti-LGBT e contra sexo fora do casamento na sua conta do Facebook no passado. A igreja não comentou a prisão de Poyner, mas removeu os seus sermões do site (e colocou todo o site em modo "em construção") e apagou a sua presença no Facebook.
A polícia de Kirksville foi alertada por uma denúncia de que o pastor estaria a utilizar a aplicação para entrar em contato com estudantes do sexo masculino. Na sequência da denúncia um polícia fingiu ter 18 anos de idade na aplicação e recebeu uma mensagem de alguém com um nome de utilizador DILF, que mais tarde descobriu-se ser Poyner quando apareceu num ponto de encontro acordado. Na conversa na aplicação, além de ter enviado múltiplas fotos nú, ele terá dito que "adoraria ter um relacionamento de sugar dady" em que alguém mais velho paga com presentes ou dinheiro pela manutenção da relação. Na conversa Poyner também disse que pagaria gasolina pelo encontro e que também poderia juntar um vale da cadeia de fast-food Arby’s.

No entanto a situação não será uma absoluta surpresa para alguns dos seus alunos, no site RateMyProfessors são vários os comentários criticando as posições conservadoras do professor universitário, incluindo homofobia, e a sua predileção por "atletas" e "cristãos".
Fonte Portugal gay