Bombeira Lésbica é demitida após denunciar assédio de homens "Vou te fazer gosta de homem de novo" diziam

 

Uma bombeira lésbica está processando seu antigo empregador, dizendo que ela foi assediada sexualmente no trabalho porque ela é gay e depois terminou em retaliação por relatar o assédio sexual.

Kira Castellon diz em seu terno que ela se juntou à Arbor Hose Company 1 em Nova Jersey em 2015 e foi a única bombeiro feminina lá. Ela disse que estava no trabalho também.

Em setembro de 2016, após ser promovida, ela disse que um colega de trabalho a assediou, beijou-a e a apalpou-a "quase diariamente" até janeiro de 2019.

O processo diz que o colega de trabalho "enfiou sua pélvis em [ela] de todas as direções como sua maneira de dizer olá e adeus".

"Vou te fazer gosta de homem reta de novo", castellon diz que o colega de trabalho um homem uma vez disse a ela.

Ela foi operada em um ponto e voltou a trabalhar de muletas, e o homem continuou empurrando sua pélvis para ela de modo que era difícil "ficar ereto como ele apalpou e enfiou sua pélvis em seu traseiro.".

A bombeira alega que o assédio foi "aberto e notório que se tornou amplamente conhecido em todo o corpo de bombeiros"

Castellon relatou o assédio, mas disse que os bombeiros não fizeram nada.

Ela foi demitida em outubro de 2019 depois de usar a identidade de isenção fiscal do Corpo de Bombeiros para fazer compras em um Sam's Club. Ela diz que as compras foram para os bombeiros, mas o departamento disse que eles eram pessoais e a despediu por causa disso. Ela diz que foi uma retaliação por denunciar assédio sexual.

Fonte:LGBTQNation