Digo Festival: comentário dos filmes "a colheita" e "nem puta nem Santa"




O filme é uma crítica social, no primeiro momento fica difícil de entender se a pessoa for leiga.
O filme mostra como seria o mundo se, as atuais crenças e discursos apoiadas pelo nosso governo atual, vingassem a 46 anos afrente.
O filme mostra um apedrejamento algo que era comum na pré história, mas hoje e visto como ruim, uma crítica seria a sociedade que vivemos.
Como se o mundo deixasse de evoluir e sucumbisse a uma única crença conservadora.
Embora o filme traga uma ótima crítica social, não vemos algo que prendesse a atenção do espectador. Ou algo que encoraje o espectador a continuar assistindo.
Porém, se você gosta de ver críticas sociais é uma boa pedida.

Sinopse:



Após meio século de revoltas populares, uma celebração social acontece todo ano, como forma de lembrar as pessoas que a paz deve ser sempre mantida. Pedro, um garoto comum, vai participar pela primeira vez do sacrifício que glorifica a vida.

 

Ficha Técnica:


Roteirista: Guilherme SF, Edição e finalização: Guilherme SF

Diretora de Arte e figurino: Barbara Lopes

Direção de fotografia: Itamar Junior

Som: Karen Pires e Jaqueline Veiga

Primeiro Assistente de Direção: Pedro Wagner

Segundo Assistente de Direção: Karl Júnior

Assistente de Arte: Daniela Araujo e João Jorge Fukuchima

Assistente de Set: Kaynan Alves Batista

Still: Ítalo Rodrigues de Carvalho e Bianca Queiroz

Elenco: Personagem (Ator)

Pedro (Carlos Eduardo)

Clarice (Giovanna Pontes)

Caio (Vinícius Feitosa)

Nicolas (Cat Yuri)

Bill (Jorge Luiz Pinheiro)

Isabel (Stella Nunes)

Vicente (Robson Camargo)

Figurante 1 (Bryan da Cruz)

Figurante 2 (Júlia Pereira)

Figurante 3 (Valesca portilho)

Figurante 4 (Raimundo Caduro)

Daniela (Rafaela Lincoln)  

 

Redes Socias: 

https://www.instagram.com/fernandesgui


Nem Puta nem Santa, Alana Ferreira (2019, 7´ Exp.)

Comentário do Filme:


Muito bom o filme, mas também com uma pegada forte.
O filme é fácil de interpretação, e o texto narrado no filme é deveras maravilhoso.
O tema, o assunto social, tratado é uma realidade em nosso País e em muitos lugares do mundo.
O filme tem um único quadro que rola durante todo o filme, mas prende a nossa atenção pela narração do filme.
O filme e toda produção merece os parabéns.


Sinopse:

A partir de seu lugar de fala, a diretora Alana Ferreira vive Bruna, uma travesti de 40 anos, do interior de Goiás. No dia de seu aniversário, percorremos com ela um caminho de desejo e coragem.

 


Ficha Técnica:

Roteiro, Direção e Interpretação: Alana Ferreira

Fotografia: Hélio Simplicio 

Montagem: Alana Ferreira 

Produção: Alana Ferreira – Hélio Simplicio – Fabiana Itaci Corrêa de Araujo 

Produtora: MIRRA FILMES