Médico Americano diz que em breve Será possível fazer Transplante de Pênis em homens Trans

 

O médico pioneiro na cirurgia de transplante de pênis acredita que em breve será possível operar um transplante com sucesso.


 

“Isso seria um salto quântico se você fosse capaz de transplantar uma estrutura peniana real. Certamente está ultrapassando os limites ”, disse o cirurgião plástico Curtis Cetrulo, MD ao MedPage Today.

Nosso podcast fala mais sobre isso.

“Estamos prontos para fazer isso e poderemos fazê-lo em breve se conseguirmos a aprovação”, afirmou o médico de Boston.

Cetrulo, que trabalha no Massachusetts General Hospital, foi o primeiro a concluir uma cirurgia de pênis com sucesso em 2016. Agora ele tem que convencer a comunidade médica e a administração do hospital de que isso pode ser feito.

Tentar o procedimento em um homem transgênero seria seu primeiro uso em uma pessoa com sistema reprodutivo não peniano. O procedimento é relativamente novo, sem diretrizes ou padrões estabelecidos e feito apenas nos EUA e na África do Sul.

Anteriormente, o Massachusetts General só permitia o transplante para "homens com defeitos congênitos no pênis ou que perderam o pênis devido a lesões ou câncer". Isso pode incluir pacientes com câncer e soldados - mas as autoridades estão considerando expandir o protocolo para incluir pacientes trans.

Dicken Ko, que faz parte da equipe do Massachusetts General de que participou de um transplante de testículo entre gêmeos idênticos, disse que não gostaria de fazer aquela cirurgia em um homem trans porque haveria dúvidas sobre quem seria o pai de qualquer criança produzida com os testículos.

Os transplantes registrados resultaram na capacidade renovada ou contínua para a função sexual, função urinária e manutenção de sua estética típica. Se possível, os transplantes de pênis poderiam substituir as faloplastias e minimizar ainda mais as metoidioplastias.

As faloplastias, que utilizam enxertos de pele a partir de “retalhos” do corpo e nem sempre têm a capacidade de ficar eretas, apresentam complicações de até 90%. Metoidioplastias, formadas por tecido clitoriano, nem sempre conseguem penetrar.

Mas Cetrulo acredita que os transplantes de pênis causariam “menos complicações uretrais, melhor resultado cosmético e melhor capacidade sexual fisiológica”.

Fonte: LGBTQNation