Presidente das Filipinas da perdão presidencial a Fuzileiro Naval que estrangulou Mulher Trans até a morte

 Joseph Scott Pemberton, que estava estacionado no país para um exercício de treinamento, estava cumprindo pena de 10 anos pelo assassinato, em outubro de 2014, da mulher trans filipina Jennifer Laude.

O fuzileiro naval americano treinado alegou que estava agindo em “autodefesa” ao estrangular Laude até a morte após descobrir que ela era transgênero, que a conheceu em um bar local e a levou de volta para um motel.


Pemberton, que buscava ser libertado antecipadamente por bom comportamento, agora deve sair livre graças a um perdão de Duterte, que tem um longo histórico anti-LGBT +.

Um porta-voz de Duterte, Harry Roque, confirmou ao The Washington Post que o líder “apagou a pena de prisão que Pemberton deveria ter cumprido”.

Roque, que já foi advogado da família de Laude, acrescentou: “Ele pode ir para casa porque foi perdoado”.

O assassinato de Laude e o julgamento de Pemberton são uma história de anos nas Filipinas, gerando protestos furiosos em várias ocasiões.

A família de Laude e os ativistas LGBT + no país haviam jurado se opor à libertação antecipada de Pemberton, argumentando que não há evidências de que ele merece uma pena comutada.

Nacionalistas filipinos também questionaram a decisão.