Mulher Trans é morta a tiros próximo à BR-116, em Fortaleza Ceará

 

Uma Mulher Trans identificada como Branca, de 37 anos, foi morta a tiros próximo à BR-116, no Bairro Pedras, em Itatinga, na Grande Fortaleza. O caso aconteceu na madrugada de sábado (29). A vítima é a 5ª trans morta no Ceará somente no mês de agosto. No ano, o número de casos chega ao total de 15.


 

  Conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foi acionada para o local da ocorrência e colheu indícios que auxiliarão os trabalhos policiais.

  Com o caso de Branca, o Ceará passa a contabilizar cinco homicídios de mulheres transexuais ou travestis somente no mês de agosto. Ao todo, o Estado soma 15 pessoas trans mortas vítimas de crimes violentos letais este ano.

  Segundo a SSPDS, um inquérito foi instaurado no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, que investiga o caso.

  5ª trans morta no mês de agosto Fortaleza e Região Metropolitana registram o maior número de homicídios de pessoas trans, com nove casos. Já no interior, os homicídios de trans aconteceram nos municípios de Crateús, Missão Velha, Camocim, Pacajus, Sobral e Iguatu.

  Os registros deste ano no Estado já são superiores ao que foi observado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) em todo o ano passado, quando foram contabilizados 11 homicídios cujas vítimas eram trans.

  Casos em agosto O homicídio mais recente cuja a vítima é trans registrado no mês de agosto, fora o de Branca ocorrido neste domingo (30), aconteceu no dia 19, quando jovem Daniele Rodrigues, de 21 anos, foi encontrada morta com lesões decorrentes de arma de fogo em um matagal no município de Crateús, no interior do Ceará.

  No início do mês, três assassinatos de trans foram registrados em Fortaleza. O primeiro caso ocorreu no dia 3, quando uma travesti foi morta no Bairro Bonsucesso. A vítima não foi identificada.

  No dia 8, uma adolescente identificada pelo Centro de Referência LGBT Janaína Dutra como Ludmila Silva foi morta na Rua Dallas, no bairro Granja Lisboa. Segundo testemunhas, Ludmila entrou em um matagal com dois homens e minutos depois foram ouvidos disparos de arma de fogo. Os suspeitos fugiram.

  No dia 10, Letícia Costa, de 29 anos, foi morta nos cruzamentos das ruas Jaime Benévolo e Clarindo de Queiroz, no Centro da Capital. Ela esteve fora da cidade por quatro meses e havia voltado para trabalhar como profissional do sexo nas ruas da região central.

  Outros casos 1. A travesti Paola Prado foi morta no dia 6 de janeiro com disparos de arma de fogo na cabeça, na Rua Pedro Borges, no Centro de Fortaleza. Ela, supostamente, era prostituta, segundo pessoas em situação de rua que estavam no local.

  2. Monike Matias Chagas, de 25 anos, foi encontrada morta, no dia 14 de fevereiro, na cachoeira da cidade de Missão Velha, no Cariri cearense. A travesti estava acorrentada e parcialmente submersa, presa por uma corda ao medidor de nível da cachoeira, segundo a Polícia.

  3. 23 de fevereiro: Dávila Duarte foi morta durante a madrugada na rua Quintino Bocaiúva, no Centro de Fortaleza.

  4. Luana Paty, de 39 anos, morreu no Instituto Dr. José Frota (IJF) após ser atingida dois dias antes por disparos de arma de fogo na Rua Carolina Sucupira, no bairro Aldeota, no dia 29 de março.

  5. No dia 16 de maio, a travesti Bárbara, 33 anos, foi morta dentro de casa, na Rua José Abílio, no bairro Granja Portugal, em Fortaleza. De acordo com a Polícia Civil, o responsável pelo crime foi Mateus Ualefi Lima de Sousa, 20. Ele se apresentou espontaneamente ao 32° Distrito Policial (Granja Lisboa), um dia após o assassinato, foi ouvido e indiciado.

  6. 06 de junho: Luanna Kelly, de 22 anos, foi morta durante a madrugada no Centro do município de Camocim. Conforme a SSPDS, ela foi assassinada por golpes de um objeto perfurocortante após uma discussão com três homens, os quais foram capturados horas após o crime.

  7. Uma travesti identificada como Babalu, de 44 anos, foi assassinada por disparos de arma de fogo no Centro da cidade de Pacajus no dia 22 de junho. Menos de um mês antes, ela já tinha sido atingida por uma lesão a bala, na mesma região.

  8. Em 11 de julho, Carol Eleotério da Silva, de 36 anos, foi morta durante a noite na Rua Sabiá, bairro Alto da Brasília, na cidade de Sobral. Segundo informações apuradas no local, ela foi vítima de um disparo de arma de fogo na nuca.

  9. 12 de julho, Soraya de Oliveira Santiago, de 35 anos, foi encontrada morta à margem da Lagoa da Maraponga. O corpo da cabeleireira estava junto ao de um homem identificado como Francisco Ediberto dos Santos Brasileiro. Segundo a SSPDS, as lesões que levaram ambos à morte foram provocadas por arma de fogo.

  10. Rhyanna Mabelly Spanick, de 20 anos, morreu no dia 19 de julho dentro da própria casa na cidade de Iguatu após complicações de uma lesão corporal sofrida em fevereiro deste ano.

Fonte: G1 REDE VERDES MARES