No Camboja Adolescente de 19 Mata menina de 18 porque ela o chamava de Gay na frente dos vizinhos

O corpo de Srean Sokcheam foi encontrada flutuando no rio Mekong em 11 de fevereiro do ano passado. Um primeiro exame de seu corpo concluiu que o afogamento da vítima foi acidental e, portanto, a polícia descartou assasinato.

No entanto, os pais da menina continuaram desconfiados das circunstâncias que cercavam a morte da filha e procuraram a Unidade de Proteção à Criança do Ministério do Interior, pedindo que o caso fosse reaberto.

A polícia agora acredita que ela foi assassinada por Touch Naly, um agricultor de 19 anos que morava ao lado da família da menina na comuna de Kien Chrey, no distrito de Kampong Siem.

De acordo com o vice-chefe da polícia distrital, Noun Socheath, uma investigação e subsequente confissão do acusado revelaram a história completa.

Na noite de 10 de fevereiro, Sokcheam foi à casa de um vizinho para assistir televisão com Naly, que tinha então 18 anos. A garota o chamava de "gay" na frente dos outros vizinhos da casa.

Ele ficou tão envergonhado com isso que, segundo se diz, ficou "enfurecido" com a garota de cinco anos. Mais tarde naquela noite, ele a convenceu a segui-lo até o rio, onde a empurrou para a água e a deixou se afogar.

Naly então fugiu para casa e o corpo da vítima foi encontrado no rio no dia seguinte.

Segundo o  Khmer Times , o acusado foi detido pelas autoridades locais no domingo (31 de maio) e acusado de assassinato sob o Código Penal do Camboja. Ele pode pegar até 15 anos de prisão se for condenado.

Embora exista uma crescente aceitação da homossexualidade no Camboja, as pessoas LGBT + não têm proteção legal e a discriminação é generalizada.

Em 2015, o governo cambojano pediu ao seu povo que "pare de zombar" do povo LGBT + , criticando artistas e apresentadores por fazerem piadas homofóbicas para ganhar popularidade.

Fonte Pinknews