Rugby pode perder status de esporte olímpico após declarações Homofóbicas

Francis Kean, chefe da União de Rugby de Fiji, estava concorrendo ao comitê executivo do World Rugby quando foi acusado de discriminação e linguagem homofóbica violenta como parte de seu trabalho diário como encarregado do serviço prisional de Fiji.
Sunday Times  do Reino Unido obteve uma gravação de Kean - que é cunhado do primeiro-ministro anti-LGBT + de Fiji - tendo um discurso homofóbico furioso ao instruir dois agentes penitenciários a agredir um jovem oficial.
Também surgiu que Kean tem antecedentes criminais, tendo sido condenado a 18 meses de prisão por homicídio culposo depois de matar um homem em uma briga em um casamento.
O escândalo que se seguiu o forçou a renunciar e retirar sua candidatura ao comitê executivo, mas as alegações alimentaram reivindicações de governança antiética no esporte, bem como preocupações com o processo de verificação em vigor para autoridades.
O presidente em exercício, o ex-capitão da Inglaterra Bill Beaumont, foi fortemente apoiado por Kean, e havia boatos de que ele pretendia fazer de Kean seu vice-presidente se reeleito para o cargo mais alto.
A controvérsia provavelmente prejudicará suas chances nas eleições de quinta-feira e potencialmente colocará o esporte em violação do código de ética do COI, custando ao rugby seu lugar cobiçado nas Olimpíadas.

De acordo com o  Daily Mail , o ex-capitão de Samoa e CEO da Pacific Welfare Dan Leo enviou uma carta ao COI pedindo uma investigação.
Estou decepcionado que o World Rugby não tenha iniciado uma investigação aberta sobre Kean e [a Federação Francesa de Rugby] por indicá-lo", escreveu ele.
“Se o World Rugby não se comprometer com as reformas de governança, nossa próxima carta será para o Comitê Olímpico Internacional, pedindo que considerem suspender o rugby como um esporte olímpico até que estejam totalmente em conformidade com as obrigações do COI.
“Se for preciso um pouco de dor a curto prazo, ou seja, estar bloqueado das Olimpíadas, que assim seja. Mas espero que o esporte possa ser proativo nisso antes que isso aconteça.
"Temos que avançar agora e garantir que as lições sejam aprendidas e, o mais importante, sejam cumpridas."
Fonte Pinknews