Post Page Advertisement [Top]

A estação de rádio judaico-australiana J-AIR disse que "se desculpa sem reservas" por transmitir os comentários, que foram feitos no Tamar Yonah Show , um programa de entrevistas israelense sindicalizado.
A alegação chocante veio de um dos convidados de Tamar Yonah, o rabino Mendel Kessin, que recentemente argumentou que o coronavírus foi criado por Deus por causa de sua oposição aos limites da liberdade de expressão.
O rabino foi um passo adiante, alegando que a pandemia é a ferramenta de Deus para erradicar "grandes problemas", ou seja, pessoas homossexuais, que ele acredita serem "uma incrível corrupção da natureza humana".
"Basicamente [Deus] está 98% pronto, é assim que estamos perto da redenção", disse Kessin . “No entanto, existem certos problemas que devem ser abordados por Deus para que a redenção realmente ocorra.
E o que começamos a ver é que a pandemia é uma droga projetista exata, se você quiser usar essa expressão, isso removerá esses problemas.
“A praga em si é um veículo”, continuou ele, “um instrumento para acelerar o processo messiânico, removendo esses grandes problemas ... O primeiro grande problema é que o homem corrompeu sua natureza. Há uma quantidade enorme de, ah, o que é chamado de imoralidade no mundo hoje. É generalizado.
“Há, em hebraico, chamado 'prichus'. Poderíamos dizer que é também na forma de homossexualidade, e gays e assim por diante, onde de repente a diferenciação de gênero é, é tremendamente obscurecida. Então isso é uma corrupção incrível da natureza do homem. ”
Desde então, o J-AIR se distanciou dos comentários do rabino e retirou o episódio do ar. A emissora também divulgou um comunicado em seu site pedindo desculpas por ter exibido o episódio em primeiro lugar.
“O J-AIR se desculpa sem reservas por comentários de transmissão e podcasting que difamavam a comunidade gay em um de seus programas recentes”, dizia o texto.
O presidente do J-AIR, George Banksy, acrescentou que as opiniões do rabino Kessin eram "totalmente inaceitáveis" e iniciou um processo de revisão para ver como os comentários o levaram ao ar, dado que o programa foi pré-gravado.
Ele acrescentou: "O J-AIR está muito ciente de seu papel como emissora comunitária e segue rigorosamente as regras deste país, particularmente as referentes à transmissão, conforme exigido pela Autoridade Australiana de Comunicações e Mídia".
Essas leis exigem que a emissora garanta que o conteúdo transmitido não provoque ou perpetue o ódio contra ou difamar qualquer pessoa ou grupo com base em, entre outras coisas, preferência sexual, identidade de gênero ou status de HIV / AIDS.
Fonte: Pinknews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]


| Designed by Colorlib