Homens que atearam fogo em Mulher trans ainda Viva são absolvidos de acusação de homofobia na Indonésia


A polícia da Indonésia disse na quarta-feira que não levaria acusações de assassinato contra suspeitos acusados ​​de matar uma Mulher transgênero, mergulhando-a em gasolina e incendiando-a.

A Trans de 43 anos morreu no domingo devido a queimaduras sofridas no incidente no dia anterior. Sua morte foi relatada pela mídia indonésia na terça-feira.

A polícia disse na quarta-feira que acreditava que os suspeitos que provocaram o incêndio não a queimaram intencionalmente. Eles identificaram seis suspeitos, três dos quais foram presos.
Budhi Herdi Susianto, chefe de polícia do norte de Jacarta, disse que os suspeitos acusaram a mulher de roubar e a encheram de gasolina. Um dos suspeitos acendeu um fósforo, mas não pretendia queimá-la, disse o chefe de polícia.

Os suspeitos podem ser acusados ​​de violência física, com pena máxima de 12 anos.

Usman Hamid, representante indonésio da Anistia Internacional, disse à Reuters que parecia muito cedo para a polícia concluir que não havia intenção de atear fogo à mulher.

"A polícia precisa tomar ações investigativas que sejam imparciais e independentes. Elas não podem parecer os advogados dos autores", disse ele.
Andreas Harsono, pesquisador da Human Rights Watch, disse que o incidente é indicativo de um aumento da hostilidade e difamação da comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros.

"A morte dela deve ser um lembrete para muitos indonésios de que as mulheres transexuais merecem justiça e direitos iguais", afirmou.

"Milhares de mulheres trans, gays ou lésbicas foram humilhadas na Indonésia nos últimos anos."

A homossexualidade não é regulamentada por lei na Indonésia, exceto na província de Aceh, onde as relações entre pessoas do mesmo sexo são proibidas pela lei sharia. Mas o crescente conservadorismo social e religioso levou o crescente vitríolo às minorias sexuais no país de maioria muçulmana mais populoso do mundo.

A comunidade de transgêneros da Indonésia é conhecida localmente como "waria" - uma combinação das palavras indonésias para "mulher" e "homem".
Fonte NBCNEWS