Post Page Advertisement [Top]

O “ Projeto de Lei da Resiliência da Família ” forçaria as pessoas LGBT + a entrar em “centros de reabilitação” sancionados pelo governo, que dariam “tratamento” religioso por serem lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneros.
Um projeto de lei foi apzresentado no mês passado por três legisladores na casa de representantes da Indonésia. Como parte da legislação proposta, o governo abriria "centros de reabilitação" em todo o país.
A lei também significaria que os membros da família de pessoas LGBT + seriam obrigados a denunciá-los às autoridades se não se submetessem voluntariamente ao tratamento.
O projeto de lei também diz que as pessoas LGBT + são uma "ameaça" à estrutura tradicional da família e comparam ser gay ao incesto e ao sadomasoquismo.
Sodik Mujahid, um político que apóia o projeto de lei, disse ao Jakarta Post que ser LGBT + não é um "assunto privado" na Indonésia, ao contrário de "países ocidentais".
Mujahid disse: "A prática da homossexualidade, não atrapalha o futuro da humanidade em base familiar?"
A homossexualidade não é ilegal na maioria das partes da Indonésia, mas é amplamente considerada um tabu. A lei indonésia não protege a comunidade LGBT + contra  discriminação  e crimes de ódio, que são  comuns .
À medida que o país de maioria muçulmana muda para um maior conservadorismo, houve um aumento no sentimento anti-LGBT +, alimentado em parte por uma forte reação pública à condenação de  Reynhard Sinaga no Reino Unido.
Grupos de advocacia LGBT + dizem que a nova lei teria um sério impacto na comunidade LGBT + na Indonésia.
Jessica Stern, diretora executiva do grupo global de campanhas LGBT +, OutRight Action International, disse que o Projeto de Resiliência da Família intensificaria a “crescente perseguição e ódio” que as pessoas LGBT + indonésias enfrentam e as tornaria ainda mais “vulneráveis ​​e isoladas”.
Dede Oetomo, cofundador da Fundação Gaya Nusantara , grupo indonésio LGBTQ  , disse que o projeto de lei é mais uma tentativa de atingir as pessoas LGBT_ após uma tentativa fracassada de criminalizar a homossexualidade no país há dois anos.
Segundo Oetomo, o governo está tentando criar um "pânico moral" sobre as pessoas LGBT +.
"Na verdade, me deparei com jovens mães que temem que seus filhos sejam transgêneros, gays ou lésbicas", disse Oetomo.
"Eles acham que se você se sentar com uma criança trans na escola, você será trans - isso é contagioso."
Embora o projeto de lei ainda esteja à espera de ser formalmente apresentado no Parlamento indonésio, ele já está causando indignação entre os grupos de direitos civis por ter como alvo pessoas LGBT + e provisões em relação a mulheres, que, segundo ele, devem permanecer na família para “cumprir os direitos dos marido e filhos de acordo com normas religiosas ”.
Fonte: Pinknews UK

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]


| Designed by Colorlib