Polícia vai ouvir novas testemunhas de agressão contra jovem homossexual em SP


Pelo menos duas testemunhas devem comparecer para depor. São duas amigas do rapaz, agredido ao sair de uma boite. Há suspeita de crime motivado por homofobia. Os envolvidos no caso foram ouvidos pela polícia na semana passada e foram liberados.
Uma nova testemunha disse à polícia que não houve motivação homofóbica no espancamento de um jovem na saída de uma boite em São Paulo. Os advogados dos agressores admitem participação dos três indiciados na agressão a um jovem gay, mas questionam as imagens das câmeras de segurança. Roger Passebom Júnior segue internado em estado grave.

Os três agressores foram indiciados por lesão corporal gravíssima e racismo, já que, segundo entendimento do Supremo, a homofobia se equipara a esse crime. Eles vão responder ao processo em liberdade. O jovem agredido, Roger Passebom Júnior, sofreu múltiplas fraturas ao ser espancado e permanece internado em estado gravíssimo.
O caso aconteceu na madrugada de domingo dia 22, quando Roger Passebom Júnior, de 22 anos, foi espancado por pelo menos seis pessoas na saída de uma festa. Ele está internado em estado gravíssimo. Testemunhas afirmam que o jovem estava sendo importunado por conta de sua sexualidade ainda dentro da casa noturna. Três dos supostos agressores já se apresentaram voluntariamente à polícia.

Fonte:CBN-G1

Nenhum comentário