Post Page Advertisement [Top]


Na antiguidade não havia presente culturalmente e socialmente o heterossexismo ou seja, a homossexualidade era vista com normalidade. Dessa forma, a priori há fontes históricas que evidenciam a prática da homossexualidade desde a antiguidade (era nomeada pederastia na Grécia Antiga, em Roma), e a posteriori podemos salientar que a pederastia (relação erótica entre um homem e um rapaz, como também qualquer prática homossexual) era considerada um representação da evolução da sexualidade (DIETER,  2012).
Segundo a autora Cristina Ternes Dieter, 2012: “A pederastia, na Grécia antiga, era vista sobre vários prismas, dependendo da situação. Entretanto, o que mais se destaca é a pederastia inserida na educação dos jovens rapazes, pois entendiam que a prática da pederastia institucionalizada, era necessária para ao desenvolvimento da masculinidade dos adolescentes”. Dessa maneira, observa-se que desde os tempos imemoriais a homossexualidade está presente na humanidade e que apenas posteriormente a sociedade influenciada pela Igreja foi transformada em uma prática pecaminosa e por conseguinte torpe e inescrupulosa.
Por conseguinte, nota-se que a Igreja contribuiu para a deturpação das práticas homossexuais, atribuindo termos pejorativos como perversão e aberração da natureza. Como pode-se observar: “A relação entre pessoas do mesmo sexo é considerada uma verdadeira perversão, uma aberração da natureza. Isso porque na Bíblia está escrito “Não te deitarás com homens, como fazes com mulheres: é abominação” (Levítico, 18:22).” (DIETER,  2012)
Dessa forma é notória a influência que determinadas instituições ou grupos podem exercer sobre a sociedade, transformando uma prática considerada dentro da normalidade em pecaminosa, pervertida, desvio de conduta e tantos outros termos preconceituosos e pejorativos.
Sendo assim, contextualizar sócio-historicamente a Homossexualidade é de suma importância no contexto social e cultural brasileiro  permeado por uma cultura profundamente inebriada pelo heteronormativismo e heterossexismo (construto, que segundo Herek (2004), “refere-se à manifestação e à perpetuação, em instituições como a justiça, a educação e o trabalho, da ideia de que tudo que não é heterossexual tem menos valor e legitimidade.)”.
Conclui-se que é importante evidenciar que lamentavelmente ainda ocorre a discriminação da homossexualidade por grupos que considerem tais práticas pecaminosas ou patológicas, que por consequência influenciam negativamente o corpo social. Entretanto, estamos caminhando para uma desmitificação da homossexualidade e com apoio científico produzido pela Psicologia (No que tange, a produção de material científico desmitificando campos do saber que erroneamente e sem fundamentação retiraram a homossexualidade do campo da normalidade) e concomitante com o demasiado suporte do Conselho Federal de Psicologia elaborando propostas sociais contra práticas homofóbicas e que desrespeitem as formas de vida que não se encaixam nos padrões da heteronormatividade.



Referências Bibliográficas:
DE CASTRO, Fábio Iannini; SILVA, Caroline Miranda. Homofobia Sob a Perspectiva Analítico Comportamental. In: DE CASTRO, Fábio Iannini et al. Homofobia Sob a Perspectiva Analítico Comportamental. [S. l.]: 7 P. Psicol/ Centro Univ. Newton Paiva, 2019. Disponível em: https://www.comportese.com/2016/05/homofobia-sob-a-perspectiva-analitico-comportamental. Acesso em: 30 ago. 2019.
DIETER, Cristina Ternes. As raízes históricas da homossexualidade, os avanços no campo jurídico e  o prisma constitucional.Instituto Brasileiro de Direito da Família. Belo Horizonte. 2012. Disponível em: http://www.ibdfam.org.br/_img/artigos/Critsina%2023_03_2012.pdf.Acesso em: 30/08/19.
COSTA, Ângelo Brandelli; NARDI, Henrique Caetano. Homofobia e preconceito contra diversidade sexual: debate conceitual. Temas psicol.,  Ribeirão Preto ,  v. 23, n. 3, p. 715-726, set.  2015 .   Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2015000300015&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  30  ago.  2019.  http://dx.doi.org/10.9788/TP2015.3-15.
PEDERASTIA. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2019. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Pederastia&oldid=55125229>. Acesso em: 30 ago. 2019.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]


| Designed by Colorlib