MT é um dos Estados com mais registros de crimes contra LGBTs


Mato Grosso registrou três homicídios contra gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais (LGBT) nos três primeiros meses do ano. Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). No mesmo período, ocorreram 26 crimes de homofobia, relacionados a qualquer tipo de intolerância, discriminação ou ofensa à homossexualidade.
Ainda de acordo com o levantamento da pasta, ao longo do ano passado, foram 116 crimes, sendo 22 mortes, das quais 15 foram assassinatos. Os números representam um aumento de 66% entre 2016 (que 7 homossexuais foram assassinados) e 2018.
No entanto, ainda existe a sub-notificação de casos, muitas vezes, motivada pela falta de informação ou de atendimento especializado, como lembra o presidente da Comissão da Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT), Nelson Freitas.
“O que acontece é que existe a falta de informação. Apesar de serem dados alarmantes, existem LGBTs que sofrem casos de violência e que não denunciam e nem procuram seus direitos, porque têm medo de chegar em uma delegacia e sofrer mais discriminação”, pontuou.
A falta de atendimento especializado a este público é outro entrave encontrado no Estado. Em Cuiabá, os crimes de homofobia são encaminhados geralmente para a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher e, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Judiciária Civil, não há previsão para a implantação de uma delegacia específica.
Outro apontamento de Nelson com relação aos altos índices de violência e de discriminação são os crescentes casos de suicídio deste mesmo público. Em 2018, foram sete registros em todo o Estado.
“Essa pessoa evita ter que enfrentar essa ferida, sabendo da dificuldade de conseguir concretizar a punição do discriminador”, lembrou Nelson.

Nenhum comentário