Trump nega asilo a mulher trans e Ela morre quando retorna

Uma mulher transexual que não conseguiu asilo nos EUA morreu após ser atacada em El Salvador.
Uma organização que apóia pessoas transexuais em El Salvador disse que uma mulher que atende por Camila foi dada como desaparecida no final de janeiro. Eles contataram hospitais na área e descobriram que ela foi internada em 31 de janeiro e faleceu em 3 de fevereiro devido a seus ferimentos.
No ano passado, Camila chegou aos EUA em uma caravana de migrantes após ser ameaçada em El Salvador.
Ativistas em El Salvador disseram que ela foi deportada pelos EUA há alguns meses.
"Ela migrou para os EUA por causa das ameaças que recebeu, mas foi deportada porque não acreditavam nela", disse ativista LGBTQ, Aislinn Odaly, ao Washington Blade.
Camila foi encontrada na rodovia Carretera de Oro, perto da capital do país, San Salvador. Investigadores não classificaram o assassinato como um crime de ódio.
Ela é a segunda mulher trans morta em El Salvador este mês, segundo o Washington Blade. O outro era uma mulher chamada Lolita que foi morta com um facão.
“Queremos justiça e investigar esses casos e aplicar os procedimentos do Código Penal reformados quando os responsáveis ​​forem encontrados”, disse Ambar Alfaro, que trabalha com uma organização de direitos trans.
Em 2015, a orientação sexual e a identidade de gênero foram adicionadas à legislação de crimes de ódio em El Salvador.
A Polícia Nacional Civil não comentou sobre o assassinato de Camila.
Fonte internacional: lgbtq nation

Nenhum comentário